Dois membros da Assembleia-Geral do Sporting pedem demissão

Dois membros da Assembleia-Geral do Sporting pedem demissão

A demissão de Diogo Orvalho surge um dia depois de o Ministério Público ter avançado com buscas em Alvalade e domiciliárias, relacionadas com suspeitas de atos de corrupção e que levaram à detenção de quatro pessoas, entre as quais André Geraldes, diretor para o futebol do Sporting.

Está a cair a estrutura dos Órgãos Sociais do Sporting, isolando o Conselho Diretivo, liderado por Bruno de Carvalho. No entanto, a notícia de que a própria direção não estava disposta a sair, fez o advogado avançar com a demissão.

Entretanto, a Mesa da Assembleia-Geral demitiu-se em bloco, vários membros do Conselho Fiscal e Disciplinar renunciaram aos cargos e parte do Conselho Directivo também se afastou, enquanto o empresário Álvaro Sobrinho, patrão da Holdimo, detentora de 30% das acções da SAD do Sporting, pediu a demissão da direcção.

Bruno de Carvalho recusa pedir demissão

Descarregue a nossa App gratuita.

A GNR deteve 23 dos atacantes e as reacções de condenação do ataque foram generalizadas e abrangeram o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, o presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues, e o primeiro-ministro, António Costa.