André Geraldes paga 60 mil euros e sai em liberdade — Sporting

André Geraldes paga 60 mil euros e sai em liberdade — Sporting

Hoje, a Polícia Judiciária (PJ) anunciou que deteve quatro pessoas durante buscas realizadas na SAD do Sporting, em Alvalade (Lisboa), por "suspeitas de corrupção ativa".

As buscas envolvem elementos da Unidade nacional de Combate à Corrupção, adianta a Lusa.

Estão a decorrer buscas na SAD do Sporting, esta quarta-feira, avança o Correio da Manhã. Paulo Silva, que denunciou o caso à CMTV, deverá falar.

"Queremos manifestar a nossa solidariedade aos colaboradores envolvidos e reiterar o nosso apoio às equipas de andebol e futebol que venceram os seus jogos com profissionalismo, atitude e compromisso", acrescenta o Sporting. No interrogatório desta tarde voltou a afirmar ter participado no alegado esquema de corrupção em oito partidas de futebol e dez de andebol. Os valores de pagos poderão ter atingido 12 500 euros.

Trata-se de uma operação policial que está a ser executada no âmbito da investigação à corrupção desportiva no sporting, depois da investigação do Correio da Manhã sobre a alegada compra de árbitros no andebol. O jornal citava conversas e trocas de mensagens de voz entre empresários, no WhatsApp, que "mostram como André Geraldes, hoje diretor de futebol do Sporting, coordenava toda a batota".

A investigação da PJ levou à detenção do 'team manager' do clube, André Geraldes, e também de Paulo Silva, suposto intermediário em casos de alegada corrupção em jogos de andebol e de futebol, e de João Gonçalves e Gonçalo Rodrigues, funcionário do clube.

Reagindo às notícias sobre o assunto, o Sporting repudiou a situação, dizendo-se vítima de uma campanha para denegrir o clube.

"O Sporting Clube de Portugal confia na justiça e, como sempre defendeu, prestou e prestará toda a colaboração necessária ao apuramento da verdade", garante a mesma fonte. "Não nos revemos em qualquer prática que desvirtue a verdade desportiva", lia-se no comunicado emitido pelo clube de Alvalade. "Na sequência disso, Gonçalo Rodrigues autossuspendeu-se de funções enquanto durar o processo de inquérito".