Presidente do INSS é demitido após denúncia de contrato irregular

Presidente do INSS é demitido após denúncia de contrato irregular

Nesta quarta, o presidente Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), Francisco Lopes, foi demitido pelo ministro Alberto Beltrame, do Desenvolvimento Social, pasta à qual o órgão é subordinado. Servidor do Superior Tribunal de Justiça (STJ), atuou na Dataprev (Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência Social) antes de assumir a gestão do INSS. A exoneração foi encaminhada à Casa Civil e deve ser publicada no Diário Oficial da União nos próximos dias.

Conforme o jornal, o contrato, no valor de 8,8 milhões de reais, foi assinado mesmo após parecer de técnicos do INSS indicar que os programas de computador oferecidos pela empresa não tinham utilidade para o órgão.

Ao O Globo, o presidente do INSS admitiu ter autorizado o gasto sem verificar a procedência da empresa.

Ainda, segundo o jornal, a RSX tem como sede uma loja destinada a venda de bebidas, em Brasília. O órgão diz ainda que foi determinada abertura de diligências para esclarecer todos os fatos. No cenário encontrado pelo GLOBO, engradados de água mineral divide as prateleiras com garrafas de vinho enquanto uma funcionária se reveza entre o atendimento do telefone e a organização do pequeno estoque de rótulos de tintos numa acanhada sala comercial, no térreo de um prédio residencial, em Brasília.

O TCU quer saber se os softwares fornecidos pela RSX são efetivamente utilizados pelos órgãos públicos que contrataram a empresa. "A presidência do INSS informa ainda que prestará todos esclarecimentos necessários à opinião pública e aos órgãos de controle", disse a nota. Além da intermediação, nossa função vai ser a execução do serviço.

Um dos donos da RSX, Raul Maia admite não ter condições de produzir o que se comprometeu a entregar.

"A RSX Informática é vítima de uma campanha insidiosa de difamação perpetrada por meio de matérias divulgadas na imprensa com o objetivo de alimentar disputas políticas pelo comando do INSS".

A área técnica do INSS chegou a alertar Francisco Lopes sobre o contrato quando verificou o tipo de programa de computador e o volume de recursos envolvidos.