António Costa confirma presença na final da Taça de Portugal

António Costa confirma presença na final da Taça de Portugal

Também o Presidente da República não escapou à crítica do líder do Sporting.

Como ministro, Eduardo Cabrita saudou a "capacidade de intervenção imediata das forças de segurança" na Academia do Sporting em Alcochete, fundamentalmente da Guarda Nacional Republicana num incidente que qualificou como "gravíssima violação daquilo que são as condições de trabalho de atletas de uma grande instituição portuguesa". Marcelo Rebelo de Sousa confessou sentir-se "vexado" pelo ataque em Alcochete e deixou no ar a possibilidade de não estar presente na final da Taça de Portugal, como é tradição.

O presidente do clube de Alvalade classificou ainda como "terroristas" os atos cometidos na terça-feira e queixou-se do linchamento público de que tem sido alvo. "Lamento, por isso, que me estejam a ser imputadas responsabilidades, diretas ou indiretas, morais ou materiais desse ato absolutamente hediondo". "Será por isso um dos primeiros visados nas ações cíveis que vou mover, até pela posição relevante que ocupa na sociedade", declarou o presidente do Sporting, numa nota enviada à Agência Lusa.

O presidente do Sporting anunciou também esta quinta-feira que vai processar Ferro Rodrigues, após as duras críticas do presidente da Assembleia da República sobre o caso das agressões a jogadores e equipa técnica na Academia de Alcochete, ocorrido nesta última terça-feira.

Na sequência da invasão à Academia 'leonina', a GNR deteve 23 suspeitos, apreendeu cinco viaturas ligeiras, vários artigos relacionados com os crimes e recolheu depoimentos de 36 pessoas, entre jogadores, equipa técnica, funcionários e vigilantes ao serviço do clube.

Isso mesmo foi explicado, através de um comunicado do juiz de instrução criminal do tribunal do Barreiro, distribuído cerca das 20:15 aos jornalistas, os arguidos foram "devidamente identificados e tomaram conhecimento dos factos que lhes são imputados".

O Ministério Público disse na quarta-feira que os detidos pelas agressões a futebolistas do Sporting são suspeitos de práticas que podem configurar crimes de sequestro, ameaça agravada, ofensa à integridade física qualificada, e terrorismo, entre outros.