Estoques acabam e Lush antecipa fechamento de lojas no Brasil

Estoques acabam e Lush antecipa fechamento de lojas no Brasil

A marca britânica de cosméticos naturais Lush, conhecida pelos produtos coloridos e pelas lojas de cheiro marcante, anunciou na tarde desta segunda-feira (14) que deixará o Brasil. A empresa vai fechar suas lojas físicas e sua fábrica a partir de 20 de junho e o seu e-commerce e sua central de atendimento ao consumidor (SAC) até 31 de agosto. Assim, a marca que opera em 49 países e conta com 932 lojas físicas e 38 lojas virtuais não encontrou condições para seguir operando no Brasil.

"O Brasil é um mercado muito difícil para a operação de uma marca britânica". Em comunicado oficial, a empresa disse que mesmo com o crescente aumento das vendas, a alta carga tributária, alidada a recessão econômica e instabilidade política tornaram a operação impossível. Além disso, a empresa se considera "líder no combate ao excesso de embalagens na indústria de cosméticos".

Com as vendas da "Charity Pot" -produto cujo valor arrecadado com a venda menos impostos é revertido para ONGs, de acordo com a Lush-, a empresa diz ter arrecadado aproximadamente R$ 280 mil no Brasil, sendo que R$ 127 mil já foram doados para 23 diferentes organizações.

Não é a primeira vez que a companhia anuncia sua saída do país. Em 2014, a marca retornou no Brasil, abrindo lojas, e-commerce e fábrica, sob o comando dos fundadores britânicos.

A Lush culpou a alta carga tributária e instabilidade política por sua decisão de se retirar do país. A empresa, porém, nega que o fechamento tenha ligação com o processo envolvendo a empresária Sandra Isper Rocha.

Depois de ser presenteada por um amigo com um sabonete da marca e passar dois anos negociando para trazer a marca ao Brasil em 1999, a empresária paulistana conseguiu finalmente tocar a idea e chegou a abrir 25 lojas no país e faturar R$ 10 milhões por ano. O SPA também será encerrado. Ao todo, tinha 129 funcionários, sendo 44 na fábrica.