PIB aumenta 2,1% até Março — INE

PIB aumenta 2,1% até Março — INE

Em 2017, o PIB português cresceu 2,7%.

Esta terça-feira foi divulgada uma estimativa pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), o Produto Interno Bruto (PIB), em termos homólogos aumentou 2,1% em volume no primeiro trimestre de 2018 (2,4% no trimestre anterior).

Recorde-se que no quarto trimestre de 2017, tinha sido ao contrário. A variação do PIB em cadeia baixou nos primeiros três meses do ano. Os economistas consultados pelo Jornal Económico apontam para um crescimento em 2018 entre 2% e 2,4%. Para já, no primeiro trimestre, o ritmo da economia é ligeiramente mais lento do que o estimado pelo executivo para o total do ano.

"A procura externa líquida registou um contributo mais negativo, em resultado da desaceleração mais acentuada das Exportações de Bens e Serviços que a registada nas Importações de Bens e Serviços". As exportações cresceram menos do que as importações.

A agência de estatísticas disse que as contribuições positivas no primeiro trimestre foram dadas principalmente pela demanda doméstica, enquanto o comércio foi fraco. Já no que diz respeito ao consumo privado, quando se compara com o mesmo período do ano passado, regista-se uma ligeira desaceleração, mas quando se compara com o trimestre imediatamente anterior existe uma ligeira aceleração.

As Finanças destacam ainda que o comportamento das exportações no primeiro trimestre de 2018 esteve sujeito a um efeito de calendário significativo (menos dois dias úteis que no trimestre homólogo), com os dados preliminares do comércio extra-União Europeia para o mês de abril a indiciarem uma forte correção deste efeito. Em relação ao trimestre anterior, o PIB aumentou 0,4% em termos reais, quando tinha crescido anteriormente 0,7%. Comissão Europeia e Banco de Portugal apresentam a mesma estimativa, já o FMI está ligeiramente mais otimista, ao prever um crescimento de 2,4%.

A economia portuguesa deverá ter abrandado ligeiramente no primeiro trimestre deste ano face aos últimos três meses de 2017, ao crescer 0,6% em cadeia e 2,2% em termos homólogos, segundo a média de estimativas recolhidas pela Lusa. Na Alemanha, a economia com maior peso na zona euro, a variação do PIB em cadeia passou de 0,6% para 0,3% e a homóloga de 2,9% para 2,3%.