Ébola mata 19 pessoas na República Democrática do Congo

Ébola mata 19 pessoas na República Democrática do Congo

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recebeu 4.000 doses de uma vacina experimental para Ebola e deve usar o imunizante no país, disse o diretor da OMS para a África, Matshidiso Moeti, por telefone à Reuters no domingo.

A Organização das Nações Unidas (ONU) começou nesta segunda-feira (14) a enviar à República Democrática do Congo (RDC) equipes de especialistas na tentativa de combater o surto de ebola no país.

Os últimos dados proporcionados ontem à noite pela OMS falam de um total de 36 casos (2 confirmados, 16 suspeitos e 18 prováveis), que incluem três profissionais de saúde possivelmente infectados e um deles falecido.

A OMS divulgou nota de alerta na última sexta-feira (11), onde afirma que o risco de propagação do vírus Ebola na República do Congo é alto.

Segundo a Reuters, o presidente Joseph Kabila também se reuniu com o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, em Kinshasa, no domingo.

- Temos o assentimento, o registro, mais a permissão de importação; tudo já aceito formalmente - disse Tedros aos repórteres.

A vacina, desenvolvida pela Merck em 2016, se mostrou segura e eficaz em testes com humanos, mas por enquanto está em fase experimental, porque ainda não possui uma licença. Ela precisa ser mantida entre as temperaturas de 60 a 80 graus Celsius negativos; o que cria grandes desafios logísticos.

Os primeiros casos do surto aconteceram no dia 8 de maio, no vilarejo de Ikoko Impege, nas proximidades da cidade de Bikoro, perto da fronteira da República do Congo.

A entidade também informou que 393 pessoas identificadas como contatos de pacientes com ebola estão sendo monitoradas.