Meirelles diz que rejeição a Temer não deve prejudicar sua eventual candidatura

Meirelles diz que rejeição a Temer não deve prejudicar sua eventual candidatura

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou, nesta quarta-feira (14), que é necessário cortar as despesas do governo antes de se falar em redução de impostos. Outras prioridades, elencou, serão manter a inflação baixa e o "uso competente" dos recursos públicos para garantir melhorias nas áreas de saúde, educação e segurança.

"A primeira prioridade é garantir emprego dos brasileiros".

Meirelles, que participa do Fórum Econômico Mundial, em São Paulo, disse que o Brasil já entrou num ciclo de crescimento sustentável, garantido pelas reformas feitas na economia. Em segundo lugar, uma inflação baixa para que o salário não seja corroído ao longo do tempo. "E, finalmente, transporte, infraestrutura, energia mais barata e mais disponível", disse. "E a maioria da população brasileira está no centro, e não nos extremos", afirmou. "E isto está a caminho e vamos chegar lá", disse. "Em resumo, o Brasil precisa inspirar orgulho a todos os brasileiros", disse.

O ministro foi mais uma vez questionado sobre sua decisão em disputar ou não a Presidência da República e afirmou que ainda não bateu o martelo. Num segundo momento, ele defendeu ser "muito importante" educar os jovens, "propiciar emprego para esses jovens e também esportes, saúde, lazer".

Sobre os memes que ironizam a falta de empolgação com sua possível candidatura - hoje Meirelles aparece com 2% das intenções de voto -, o ministro disse que "humor é fundamental na vida e também na vida pública", mas que em uma democracia, não precisa concordar com a mensagem de todos. Para ele, os animais trazem uma "presença afetiva" que faz muito bem a todos.

"Eu tenho cinco cachorros e gosto de todos". A que apareceu no Instagram foi a filha mais velha.

Meirelles fez o que pode, mas usou a expressão presença afetiva ao comentar sobre a foto de um de seus cachorros que postou esta semana na internet. Ele visitou a sede do Twitter no Brasil, em São Paulo, onde gravou vídeos em respostas a perguntas de internautas.

Enquanto não confirma se será candidato à Presidência da República nas eleições deste ano, Meirelles também tem intensificado viagens pelo País, dado entrevistas diárias a rádios do interior.

Como mostrou reportagem do 'Estado' publicada na segunda-feira, com menos de 1% nas pesquisas eleitorais, Meirelles passou a dividir a agenda de ministro com a de pré-candidato em busca de popularidade. Desde dezembro, voou 42 vezes com a FAB, em oito ocasiões para fora do eixo Rio-São Paulo.