Ministério da Saúde lança campanha para vacinar jovens contra o HPV

Ministério da Saúde lança campanha para vacinar jovens contra o HPV

Dados do Ministério da Saúde apontam que, desde a incorporação da vacina contra o HPV no Calendário Nacional de Vacinação, 4,9 milhões de meninas completaram o esquema com a segunda dose, totalizando 48,7% do total de público na faixa etária de 9 a 14 anos.

Assim como no caso do HPV, a campanha da vacinação contra a meningite focará nos pré-adolescentes: meninos de 11 a 14 anos e meninas de 12 e 13 anos.

Desde ano passado, já foram vacinados 32% do público-alvo, restando ainda 10 milhões de adolescentes.

Os adolescentes que tomaram a primeira dose da vacina contra o HPV precisam tomar a segunda dose para a efetiva prevenção. O Ministério da Saúde calcula que esta forma da doença é a mais prevalente entre as meningites bacterianas.

Com o objetivo de reforçar as atuais ações de prevenção do câncer do colo do útero, vulva, vagina, região anal, pênis e orofaringe dá-se continuidade à estratégia de vacinação contra o HPV dos tipos 6, 11, 16 e 18.

A campanha, cujo o slogan é "Não perca a nova temporada de Vacinação contra a meningite C e o HPV", será veiculada no período de 13 a 30 de março. Já na meningite C, a faixa etária foi expandida para 11 a 14 anos. No Brasil, o perfil de prevalência do HPV é semelhante ao global, sendo 53,2% para HPV 16 e 15,8% para HPV 18.

Cerca de 54,6% de jovens brasileiros entre 16 e 25 anos tiveram infecção pelo HPV. Segundo a pasta, o número é o que falta para atingir 80% da população-alvo. Além de proporcionar proteção, a ampliação alcançará o efeito da imunidade de rebanho, ou seja, a proteção indireta das pessoas não vacinadas. Com a vacina, o setor estima que haverá proteção direta, impedindo o deslocamento do risco de doença para esses grupos etários. Até quando eles são vacinados, as chances de desenvolvimento de câncer de colo do útero nas mulheres diminuem (pois a transmissão da doença é menor) - ressalta Juliana Ominelli, médica oncologista da Oncoclínica. A ideia é estimular os professores a conversem com os alunos e familiares sobre o tema. Dessa forma, o esquema completo passa a ter duas doses, é o que explica a enfermeira responsável pelo setor de imunização da Secretaria da Saúde, Danieli Fortilli. O Brasil é o primeiro país da América do Sul e o sétimo do mundo a oferecer a vacina HPV para meninos em programas nacionais de imunizações. Por isso, o Ministério da Saúde em parceria com o Ministério da Educação tem promovido a vacinação nas escolas, dentro do Programa Saúde na Escola. O Ministério da Saúde aponta que é fundamental a participação das escolas como medida de reforço para a adesão dos jovens à vacinação.