Explosão na passagem do comboio de premiê palestino deixa feridos em Gaza

Explosão na passagem do comboio de premiê palestino deixa feridos em Gaza

Sete pessoas ficaram feridas em uma explosão nesta terça-feira (13) na passagem do comboio do primeiro-ministro da Autoridade Palestina na Faixa de Gaza, onde ele realiza uma visita, afirmaram testemunhas e fontes das forças de segurança.

Hamdallah e o chefe do serviço de inteligência palestino Majid Faraj, que também estava no comboio, escaparam ilesos, segundo informou uma fonte oficial à France Presse. Porém, depois da explosão, Hamdallah decidiu encurtar sua visita, segundo uma fonte de sua delegação. O ministro do Interior de Gaza, Iyad al-Buzom, respondeu à mesma cadeia de televisão afirmando que as acusações da Fatah "têm uma dimensão política" e anunciando que "vários suspeitos foram detidos" no âmbito da investigação a esta explosão. Abbas condenou o ataque e o atribuiu ao Hamas.

O Hamas acusou Israel pelo assassinato de Mazen Faqha, enquanto o segundo ataque foi atribuído a islamitas radicais.

O primeiro-ministro seguiu com a agenda e garantiu que o incidente não fará com que deixe de entrar em Gaza. Esta última, reconhecida pela comunidade internacional, governa partes da Cisjordânia ocupada, separada da Faixa de Gaza pelo território israelense.

Em Outubro do ano passado, o Hamas aceitou ceder o controlo do território à Autoridade Palestina, num acordo assinado em Cairo com a Autoridade Palestiniana, masqe ainda não foi colocado em prática.

Israel justifica o rigoroso bloqueio terrestre, aéreo e marítimo imposto à Faixa de Gaza desde 2007 pela necessidade de conter o Hamas, um de seus maiores inimigos, contra o qual já se envolveu em três guerras.