Bruxelas pede "reformas ambiciosas" em carta enviada a Centeno

Bruxelas pede

A Comissão Europeia enviou uma carta com vários avisos ao Governo português.

Para reduzir os níveis de endividamento privado e público "para níveis mais prudentes", Portugal deve prosseguir um "caminho de reformas" e apresentar uma Programa de Estabilidade "detalhado e ambicioso", pediram esta quarta-feira a Mário Centeno os responsáveis pelas pastas económicas da Comissão Europeia.

A CE lembra ainda que a redução da dívida pública está dependente da manutenção de um saldo orçamental estrutural "forte"; e que a redução do stock de dívida privada "tem de continuar", bem como "o reforço dos balanços dos bancos, nomeadamente através de reduções adicionais no cédito mal parado (non performing loans)".

Governo recebe carta com três avisos de Bruxelas

Ainda assim, os representantes do executivo europeu aproveitam a missiva especialmente para "encorajar o Governo [português] a continuar no caminho das reformas". Dombrovskis e Moscovici referem ainda a necessidade de aumentar produtividade para fazer crescer competitividade e salários.

A carta termina dizendo que a CE "vai monitorizar de perto a acção política e a evolução dos desequilíbrios no contexto de monitorização específica".

A Comissão Europeia considera que Portugal continua com desequilíbrios mas que, contrariamente a 2017, estes já não são "excessivos". O grupo dos desequilíbrios excessivos fica agora composto por Croácia, Chipre e Itália.