PSP vai ter mais poder de fogo contra a ameaça terrorista

Para uma melhor resposta a possíveis ataques terroristas, a Polícia de Segurança Pública vai comprar cerca de 200 espingardas de calibre 5.56 milímetros - que têm maior capacidade de perfuração e maior alcance. Pesam 2,82 quilos e custam mil euros.

A informação vem hoje no Jornal de Notícias e fala da possibilidade das espingardas de longo alcance chegarem mesmo ao patrulhamento de rua em pontos e perídos críticos como, por exemplo, no Ano Novo. Em França e em Espanha os agentes policiais já utilizam estas espingardas - modelo HK G36 -, desde os atentados de Paris, em novembro de 2015.

A PSP quer reforçar o poder de fogo com armas de maior alcance e perfuração que possam garantir a destruição do alvo em situação de ameaça terrorista, sobretudo nos casos de ataques dos chamados lobos solitários ou investidas de viaturas contra multidões.

De acordo com o jornal, o fornecimento destas novas espingardas deverá ser sujeito a concurso, com verbas de lei de programação e equipamento das forças de segurança.

A medida, que pretende substituir gradualmente armas que já são usadas há mais de 30 anos, vem na linha de opções semelhantes tomadas por outros países europeus.

As armas deverão ser distribuídas pelo Corpo de Intervenção, responsável pelas acções de patrulhamento em locais críticos.