Parlamento catalão levará à Justiça europeia posse de Puigdemont

Parlamento catalão levará à Justiça europeia posse de Puigdemont

Embora ambos os partidos partilhem o objetivo de Carles Puigdemont tomar posse como presidente da Generalitat, as divergências surgem na maneira para chegar lá - e, além disso, nas energias que devem ser dispendidas para atingir esse fim. Se o JPC, que tinha Carles Puigdemont no topo da lista eleitoral, parece querer levar até às últimas consequências a investidura do seu candidato; a ERC hesita cada vez mais perante os obstáculos políticos e jurídicos.

"Para proteger os direitos de Puigdemont de submeter-se ao debate de investidura de forma efetiva, o presidente (do Parlamento) Roger Torrent apresentará um pedido de medidas cautelares à CEDH", indicou o Parlamento regional em um comunicado.

O Tribunal Europeu dos Direitos Humanos verifica o respeito dos princípios da Convenção Europeia dos Direitos Humanos nos 47 países que pertencem ao Conselho da Europa, de que Portugal também faz parte.

O porta-voz do governo espanhol, Inigo Méndez de Vigo, assegurou esta segunda-feira que Madrid não irá tolerar "de nenhuma forma" que seja atribuído ao líder independentista da Catalunha, Carles Puigdemont, uma "presidência simbólica".

A data em que o recurso vai ser apresentado ainda não é conhecida. Assim, expressou a sua "perplexidade ao ver que quando Torrent aplica uma ideia do JPC também receba queixas".