Hospital de S. João abre inquérito a "selvática agressão" a funcionários

Hospital de S. João abre inquérito a

Falando à agência Lusa, o oficial de serviço na PSP do Porto contou que cerca de dez pessoas estiveram envolvidas nos desacatos mas só duas foram identificadas: o doente que deu entrada na urgência do hospital e um acompanhante.

O grupo agrediu dois enfermeiros, um auxiliar de ação médica e um segurança, alegadamente devido à demora na triagem.

O serviço de urgências do Centro Hospitalar de São João (CHSJ), no Porto, tornou-se na noite desta terça-feira um palco de agressões. Apesar do sucedido, fonte da Polícia de Segurança Pública afirma ao Expresso que não "há motivo para um reforço" policial no hospital ou nas imediações, por considerar tratar-se de um "caso isolado".

Perante uma tentativa de fuga, a PSP disparou para o ar, mas os quatro homens conseguiram fugir, não sem antes tentar atropelar um agente.

O caso registou-se pouco depois das 23:00 de terça-feira e relaciona-se com a entrada de um doente que se fazia acompanhar por "um número indeterminado" de pessoas.

O Conselho de Administração do CHSJ comunicou os factos às autoridades competentes e manifestou "toda a solidariedade" para com os profissionais envolvidos.

O CHSJ diz que o doente "foi triado de acordo com os procedimentos normais e cumprindo todos os tempos previstos".

"Repentinamente, o doente e acompanhantes referidos agrediram selvaticamente quatro profissionais do Serviço de Urgência", acrescenta.