Com Temer 'vampiro' no sambódromo, políticos apoiam desfile da Tuiuti

Com Temer 'vampiro' no sambódromo, políticos apoiam desfile da Tuiuti

A primeira a desfilar, Império Serrano, abusou da criatividade com uma homenagem à China, expressando sua admiração pela cultura milenar que se tornou uma nação líder no século XXI. A mesma farra que os blocos fizeram, a mesma farra que continua sendo feita nas ruas. A Mangueira do revolucionário (no melhor dos sentidos, aquele que sacode tudo naturalmente, fazendo essencialmente carnaval) Leandro Vieira apostou na crítica à prefeitura em forma de bloco de luxo, reclamando enquanto brincava e sambava; a Portela da professora Rosa Magalhães deu de fato uma aula, de história, geografia e carnaval ao contar a epopeia dos judeus expulsos de Pernambuco que cruzaram o Atlântico e foram fundar Nova York; e o Salgueiro foi muito Salgueiro, luxuoso, imponente, africano, em uma simbiose perfeita entre o DNA da escola e o recém-chegado carnavalesco Alex de Souza.

Sobre um de seus carros aparecia um boneco de Crivella como o Judas que é malhado no Sábado de Aleluia.

- É um enredo que já caiu nas graças do público antes mesmo do desfile. Com o enredo "Maranhão, os tambores vão ecoar na terra da encantaria", a agremiação paulista levou seu segundo troféu na principal elite do Carnaval da região, consagrando-se como bicampeã. Infelizmente acho que o prefeito não entendeu o sentido de carnaval.

A fantasia é inspirada no desfile realizado pela Beija-Flor em 1989, quando a alegoria do genial Joãosinho Trinta, na época carnavalesco da escola, foi censurada e coberta com o mesmo tipo de plástico usado na fantasia de Pedro.

- Eu espero que o povo venha com a Mangueira.

Para alguns especialistas, no entanto, que preferiram não se identificar, a crítica ao prefeito pode significar uma pressão para que futuros políticos não reduzam recursos ao carnaval carioca, que é um dos mais prósperos do mundo. Minimizou a importância do carnaval e, após hesitação e informações desencontradas, participou da tradicional entrega da chave da cidade ao Rei Momo, na semana passada. Acho que ele deveria conversar com o prefeito de São Paulo e de Salvador para ver o valor que eles dão lá. É uma magoa muito forte.

É a nossa resposta para este prefeito que corta o nosso orçamento e tenta acabar com a nossa felicidade, explicou à AFP Helton Dias, um dos componentes da Mangueira.