Pânico no Havai após falso alerta de ataque de míssil

Pânico no Havai após falso alerta de ataque de míssil

"Isto não é um ensaio", lia-se na mensagem que gerou o pânico no Havai e avisava da chegada de um míssil balístico.

O porta-voz da agência, Richard Repoza, confirmou que foi um alarme falso e a agência está tentando determinar o que aconteceu. "Um míssil pode atingir terra ou mar dentro de minutos". "CONFIRMEI COM FUNCIONÁRIOS", tuitou a deputada.

A Casa Branca disse que o presidente Donald Trump, que está na Flórida, foi informado sobre o alerta falso. "A mensagem foi enviada por erro", disse.

- Uma comunicação do tipo (de retificação) precisa ser dada com antecedência - criticou ainda o deputado estadual Matt LoPresti, citando o temor da população. Fiquei sentado na banheira com meus filhos fazendo orações. A base militar fica próxima à capital havaiana, Honolulu.

O também senador do estado Brian Schatz afirmou que um erro humano de um funcionário do serviço de emergência causou a confusão.

Pela primeira vez desde a Guerra Fria, o estado americano testou sirenes de alarme contra ataques militares e nucleares em dezembro.

As mídias sociais foram à loucura neste sábado, após imagens de alertas de emergência sobre uma "ameaça de míssil balístico a caminho do Havaí" começarem a circular.

O alerta falso surgiu em meio à crescente tensão geopolítica na região, diante da possibilidade de uma ameaça nuclear da Coreia do Norte.

O alarme foi desmentido quase de seguida, mas os habitantes do arquipélago norte-americano não ganharam para o susto.