Anvisa alerta: viajantes devem tomar dose padrão da vacina contra febre amarela

Anvisa alerta: viajantes devem tomar dose padrão da vacina contra febre amarela

Pessoas que vão viajar para áreas que exigem o Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia, o CIVP, devem tomar a dose inteira da vacina da febre amarela (0,5 ml) - e não a dose fracionada, de 0,1 ml, que será aplicada em algumas regiões do país.

Isso porque de acordo com a Anvisa, viajantes internacionais integram a parcela da população que não é indicado para receber a dose fracionada da vacina contra a febre amarela.

"Não será emitido CIVP, em hipótese alguma, para quem apresentar comprovante de vacinação com etiqueta referente a dose fracionada", diz nota da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). Segundo a Anvisa, no entanto, quem tiver viagem marcada para um dos países que exigem comprovação da vacina precisa receber a dose padrão.

A regra também vai valer para a dose padrão, que será aplicada gratuitamente em postos de vacinação com a apresentação do comprovante.

A agência lembra que as vacinas têm um período para atingir a proteção esperada, que pode variar entre dez dias e seis semanas. "Por isso, vacine-se com antecedência", avisa a agência.

No Brasil, em função da grande procura pela vacina com o surgimento de novos casos da doença, o Ministério da Saúde anunciou o fracionamento da dose em 75 municípios dos estados do Rio de Janeiro, São Paulo e Bahia. Também é possível consultar a lista no site da Organização Mundial de Saúde. A pasta garante que a mesma dose poderia ser aplicada em até cinco indivíduos, mas o governo irá trabalhar com uma margem de segurança.

Barros destacou que a dose padrão da vacina contra a febre amarela protege uma pessoa por toda a vida, enquanto a dose fracionada protege por pelo menos oito anos, conforme apontaram testes feitos pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).