Fitch tira Portugal do 'lixo' ao subir rating em dois níveis

Fitch tira Portugal do 'lixo' ao subir rating em dois níveis

Este movimento pouco habitual coloca o rating português ao mesmo nível do italiano e confortavelmente acima de "lixo", acentuando o clima positivo que se vive actualmente em relação à dívida do país.

A decisão da Fitch ocorre no dia em que, simbolicamente, os juros das Obrigações do Tesouro a 10 anos desceram pela primeira vez desde o resgate, abaixo dos registados para os títulos italianos e pode ampliar o universo de investidores potenciais que exigem um grau de 'investimento' pelo menos em duas das três principais agências.

A notícia da saída de lixo já era esperada pelos analistas e pelos investidores em dívida pública, ainda que poucos tivessem falado de uma subida de dois níveis - uma boa notícia adicional para o país, ainda que o mais importante fosse mesmo a passagem para um patamar acima da fronteira entre "investimento de alto risco" e "investimento de qualidade".

A Fitch destaca também a "melhoria significativa" na frente orçamental, estimando que o défice desça para 1,4% do PIB no final deste ano (depois de ter atingido 7,2% em 2015), a "forte recuperação económica" desde meados de 2016 e a "forte performance do mercado de trabalho" com a redução da taxa de desemprego para 8,6% em setembro. E o que a Fitch fez foi ir ainda mais longe na melhoria da avaliação da dívida portuguesa. A subida de rating foi, mesmo, de dois patamares: passou de BB+ para BBB (saltando por cima de BBB-).

Mário Centeno lembra ainda que "nunca antes uma das três principais agências de rating tinha decidido, num só momento, aumentar em dois escalões a avaliação da dívida soberana portuguesa".

Foi por isso que, na expectativa de uma subida do rating da Fitch para um nível "investimento", as taxas de juro da dívida portuguesa registaram, nas últimas semanas, novas descidas.

Há uma perspetiva de descida do rácio de dívida pública de mais de três pontos percentuais este ano, para menos de 127% do PIB, antecipa a agência de rating. "Naturalmente são boas notícias para a economia portuguesa [.]". A Fitch assinala que está a ser conseguida em Portugal uma redução gradual e sustentada do endividamento externo do país, algo que via como uma das grandes debilidades do país. Nessa altura, mais uma vez, Portugal poderá sentir um impacto positivo nos mercados, já que, para alguns índices de dívida soberana, o que conta são mesmo os ratings atribuídos pela Standard & Poor's e a Moody's.