"Produção de Figurado em Barro de Estremoz" declarada Património Mundial — Ultima hora

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, congratulou-se esta quinta-feira pela inscrição da produção dos "Bonecos de Estremoz" na lista de Património Cultural Imaterial da Humanidade pela UNESCO.

Os "Bonecos de Estremoz" são os mais recentes classificados pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO).

A UNESCO decidiu em Florença, em dezembro de 1983, a classificação simultânea dos quatro locais portugueses como Património Mundial.

As justificações apresentadas no relatório do comité foram diversificadas, indo do critério de um "excelente exemplo de um tipo de construção", para o caso de Angra do Heroísmo, à peça "representativa de uma obra prima do génio criativo da humanidade", no da Batalha.

Três anos depois, em novembro de 1986, foi a vez do centro histórico de Évora, um "testemunho de uma troca considerável de influências durante um dado período ou numa determinada área cultural", no entender do comité, citado pela Lusa. A produção de figurado em barro remonta ao século XVII e a sua estética muito característica torna os Bonecos imediatamente identificáveis e, desde hoje, ainda mais reconhecidos internacionalmente, devido a esta classificação como Património da Humanidade.

Em dezembro de 1995, a UNESCO incluiu a paisagem cultural de Sintra na lista, devido ao valor universal, que representa uma abordagem pioneira ao paisagismo Romântico, com grande influência nos desenvolvimentos de outras partes da Europa. Esta classificação vem contribuir para a concretização desse objetivo estratégico.

Em junho e julho de 2004 foi a vez da Paisagem da Cultura da Vinha da Ilha do Pico, nos Açores, ser considerada Património Mundial.

O primeiro prémio após a passagem do milénio foi atribuído em 2001 e ao centro histórico de Guimarães, pela "excecional" preservação, mas para a classificação também contou a ligação da cidade ao "estabelecimento da identidade e da língua portuguesa".

No final de 1999, o Comité do Património Mundial da UNESCO aceitou a entrada da Floresta Laurissilva da Madeira na lista.

António Ceia da Silva, presidente da Entidade Regional de Turismo do Alentejo, que acompanhou a delegação de Estremoz na Coreia do Sul, felicitou o Município de Estremoz pelo resultado da candidatura e afirmou que "a identidade e a autenticidade são fatores decisivos na afirmação dos destinos turísticos".

Na decisão da UNESCO foi considerado que a candidatura reunia todas as condições para dar resposta aos cinco critérios necessários para que um bem seja inscrito na Lista Representativa do Património Cultural Imaterial da Humanidade, sendo referido que a inscrição do Figurado em barro de Estremoz "promoverá o respeito pela diversidade cultural e pela criatividade humana em geral, uma vez que encoraja o entendimento mútuo entre as comunidades que partilham algumas das características e modos de vida retratados pelas figuras".