May: Acordo alcançado garante ausência de fronteira física na Irlanda

May: Acordo alcançado garante ausência de fronteira física na Irlanda

O chanceler irlandês Simon Conveney celebrou o anúncio de "garantias para todos na ilha da Irlanda, protegendo completamente o Acordo da Sexta-Feira Santa, o processo de paz, a economia de toda a ilha e assegurando que não existirá uma fronteira dura na ilha da Irlanda após o Brexit". O DUP, que tem a sua razão de ser na defesa da Irlanda do Norte como parte indissociável do Reino Unido, considerou inaceitável que fosse dado o estatuto de excepção à Irlanda do Norte.

"Eu acho que vamos trabalhar nas próximas horas com o governo do Reino Unido para fechar isso".

"Não haverá uma fronteira rígida e manteremos o acordo de Belfast", declarou Theresa May, em declarações à imprensa após uma reunião com o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, em Bruxelas. A recomendação de Bruxelas para que se iniciem os trabalhos em torno da segunda fase das negociações baseia-se no relatório conjunto acordado pelos negociadores da Comissão e do Governo do Reino Unido, que foi hoje subscrito pela primeira-ministra britânica durante uma reunião, em Bruxelas, com o presidente do executivo comunitário, Jean-Claude Juncker.

Para Bruxelas foram efectuados "progressos suficientes" nos três domínios prioritários: direitos dos cidadãos, diálogo sobre a Irlanda/Irlanda do Norte e acordo financeiro com o Reino Unido. May viajou com o secretário David Davis e se encontraria também com o negociador-chefe da UE, Michel Barnier.

"Estes cidadãos, assim como os cidadãos britânicos que vivem na UE a 27, conservarão os seus direitos após a saída do Reino Unido da UE".

Um porta-voz de May disse que as negociações de Brexit estavam em andamento, enquanto um alto funcionário irlandês disse que as negociações estavam se movendo rapidamente e que um acordo era possível em algumas horas.

Os europeus deram um prazo até domingo, 10, para que o Reino Unido resolve esse primeiro acordo provisório a fim de que os dirigentes dos 27 Estados que compõem a UE tenham tempo de estudar o texto e possam dar seu parecer na próxima cúpula europeia entre 14 e 15 de dezembro.

Uma tentativa cuidadosamente planejada para mostrar o progresso das negociações do Brexit entrou em colapso no último minuto na segunda-feira, 4, quando o partido da Irlanda do Norte vetou um projeto já acordado com o governo em Dublin.