Reino Unido descobre plano do Isis para assassinar Theresa May

Reino Unido descobre plano do Isis para assassinar Theresa May

Segundo o Sky News, o plano passaria por primeiro atirar um explosivo na Downing Street, a residência oficial do primeiro-ministro do Reino Unido, para causar o pânico e, posteriormente, matar May.

A notícia do frustrado assassinato foi publicada depois de Andrew Parker, chefe do serviço de inteligência britânica, MI5, ter informado ao gabinete sobre a ameaça terrorista e que o seu serviço havia frustrado nove ataques terroristas este ano.

O suposto plano consistia em perpetrar um ataque com bomba contra as portas de segurança de Downing Street e depois, aproveitando a confusão inicial, chegar até a primeira-ministra para matá-la com uma faca, indica a emissora "BBC".

Naa'imur Zakariyah Rahman e Mohammed Aqib Imran estão acusados de terrorismo e devem hoje comparacer diante do tribunal para conhecer a sentença.

Quando foi detido, a 28 de Novembro, em Londres, Rahman, tinha dois explosivos improvisados e inactivos.

Imran é também acusado de ter tentado a posse de um passaporte falso para se juntar a um grupo afiliado do Estado Islâmico na Líbia. Os dois suspeitos foram detidos na semana passada e, desde então, permanecem sob custódia das autoridades. Quatro deles foram reivindicados pelo EI, resultando em 36 mortos e quase 200 feridos.

A polícia, por sua vez, se limitou a informar nesta quarta que os dois homens comparecerão perante a Corte de Magistrados de Westminster, em Londres, acusados de planejar atos terroristas.

Três autores dos atentados estavam no radar das forças de segurança, segundo uma investigação interna que concluiu que a polícia perdeu várias oportunidades de evitar o atentado contra a Manchester Arena.