Teste comprova que Face ID não é tão seguro quanto parece

Teste comprova que Face ID não é tão seguro quanto parece

A Apple afirma que a hipótese de uma pessoa aleatória desbloquear o iPhone X através do FaceID é de 1 em 1.000.000, em comparação com 1 em 50.000 para o TouchID.

As palavras de Ho, embora não citem a Apple especificamente, dão uma pista do que a Maçã pode estar planejando, e as razões não são poucas: além de Cupertino ter abraçado com força total as tecnologias de reconhecimento facial recentemente, com o iPhone X, a Inventec não fabrica alto-falantes inteligentes para muitas companhias - além da Apple, apenas a Sonos e outras empresas menores que não têm aspirações tecnológicas tão profundas como Tim Cook e sua turma. Aparentemente, o jovem Ammar Malik é essa exceção, destravando a tela do aparelho de sua mãe Sana Sherwani.

O iPhone X trocou o Touch ID pelo Face ID e este novo desbloqueio tem dado que falar. No entanto, após mais algumas tentativas, o iPhone voltou a liberar o acesso ao garoto.

Podemos questionar-nos até que ponto é que um dispositivo móvel deverá ter um valor tão absurdo, contudo, não deve haver espaço para dúvidas, este é o melhor smartphone da Apple até então. "Se estiver preocupado com isso, use um código para autenticar.", completa. Segundo a empresa, a estatística de um em 1 milhão "é diferente para gêmeos e irmãos que são muito parecidos entre si e também a crianças com idade inferior a 13 anos, porque suas características faciais ainda não se desenvolveram completamente", diz a página de suporte da empresa.