Suspeito de assassinar funcionária de call center é preso

Suspeito de assassinar funcionária de call center é preso

Segundo informações da polícia, ele teve um caso com a vítima.

A Polícia confirmou que a mulher encontrada morta dentro de um prédio comercial, na manhã desta terça (14), em Salvador, foi assassinada. A pedra foi pega por ele a caminho do local do crime.

A jornalista trabalhava na empresa Call Tecnologia, que presta serviços de call center para o Disque 180 da Secretaria de Políticas para as Mulheres, do Governo Federal.

O homem suspeito de assassinar a jornalista foi preso na tarde desta terça-feira (14/11), menos de 24 horas depois do crime.

Conforme a delegada, o suspeito e a vítima mantinham uma relação escondida desde 2013. Na época, os dois foram demitidos, mas continuaram se encontrando fora do trabalho. De acordo com Policiais Militares da 35ª Companhia Independente da PM (CIPM/Iguatemi), a equipe foi acionada na manhã desta terça-feira (14/11), para atenderem a ocorrência e encontraram o corpo no local.

Segundo informações de colegas de trabalho da vítima, ela começou o expediente às 14h da segunda-feira e deveria ter saído às 20h. Familiares e amigos de Daniela chegaram a fazer buscas pela vítima. Formada em Jornalismo pela Unijorge, em 2015, Daniela estava desaparecida desde às 19h de segunda-feira (14), quando saiu da sala onde trabalhava no prédio, no 1º andar, para comprar um remédio e não voltou ao trabalho. O corpo da vítima foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) de Salvador, onde será periciado.

O Sindicato dos Jornalistas dos Profissionais no Estado da Bahia (Sinjorba) emitiu nota de pesar e informou que pretende acompanhar e divulgar as investigações para prisão e julgamento do autor do crime.