Benfica acusa dirigente do FC Porto de ameaças a árbitros

Benfica acusa dirigente do FC Porto de ameaças a árbitros

Luís Gonçalves, diretor-geral do futebol do FC Porto, está a ser investigado por corrupção ativa na atividade desportiva pelo Ministério Público, de acordo com o Correio da Manhã (conteúdo fechado).

No relatório divulgado pela Federação Portuguesa de Futebol (FPF), são referidas várias incidências relacionadas com comportamento do público, tempo de compensação e atraso no início do jogo, além das habituais ofertas das duas equipas aos árbitros, mas nenhuma refere Luís Gonçalves.

Recorde-se que, nessa partida disputada no Minho, Luís Gonçalves foi expulso após o apito final por protestos, tendo mesmo dito a Tiago Antunes, como consta no relatório de jogo, que teria "uma carreira curta". Agora o MP requereu à FPF todos os documentos relacionados com esse jogo, nomeadamente a nomeação dos árbitros, bem como as classificações dos árbitros na época passada e as notas de Tiago Antunes. "Nós sabíamos o que vinhas tu para aqui fazer, nós vamos conversar mais tarde, a tua carreira vai ser curta", avisou o dirigente portista. No seguimento disso mesmo, o dirigente foi suspenso por 30 dias pelo Conselho de Disciplina da Federação. Investigado pelo MP por ameaças ao árbitro Tiago Antunes, soube-se agora de novas ameaças à equipa de arbitragem no túnel do Bessa, no intervalo do último Boavista - FC Porto. "O clima de coacção tem de acabar", lê-se no Twitter da direção de comunicação da equipa da Luz.