Após racha no PSDB, Bruno Araújo entrega ministério das Cidades

Após racha no PSDB, Bruno Araújo entrega ministério das Cidades

Bruno Araújo (PSDB), ministro das Cidades, encaminhou ao presidente Michel Temer uma carta pedindo demissão. A formalização da saída, via carta, se dá em meio ao racha no PSDB - dividido entre aqueles que defendem a permanência no governo e aqueles que querem o desembarque.

A cizânia tucana se intensificou durante a tramitação, na Câmara dos Deputados, da segunda denúncia do Ministério Público contra Temer.

"Agradeço a confiança do meu partido, no qual exerci toda a minha vida política, e já não há mais nele apoio no tamanho que permita seguir nessa tarefa".

Na carta, o tucano ainda agradece "a confiança do presidente", destacando algumas de suas "conquistas" no cargo, tais como a "recuperação do programa Minha Casa Minha Vida, além do Cartão Reforma e a Nova Regularização Fundiária".

A demissão de Bruno Araújo abre caminho para a reforma ministerial.

Inicialmente, a estratégia do Palácio do Planalto era acertar que todos os ministros tucanos pedissem demissão ao mesmo tempo, mas Bruno Araujo se antecipou para tentar evitar maiores desgastes políticos. A ministra de Direitos Humanos, Luislinda Vallois, também pode deixar o primeiro escalão.