Standard and Poor's mantém preocupações com banca e endividamento privado

Standard and Poor's mantém preocupações com banca e endividamento privado

"O Governo nunca duvidou que o progresso inequívoco que Portugal fez ao longo dos últimos anos seria reconhecido".

Para Costa, a decisão da S&P "é a demonstração que a viragem de políticas, o virar da página da austeridade, permitiu também agora virar a página do lixo". "Não foi a última vez que saímos, mas desta vez não voltaremos a entrar". O Ministério das Finanças português reagiu prontamente, dizendo que "a decisão abre caminho ao alargamento da base de investidores na dívida da República Portuguesa e à melhoria das suas condições de financiamento" e que "este efeito permitirá a melhoria das condições de financiamento das famílias e empresas portuguesas". "E tudo o que for uma boa notícia para o país, ainda bem", começou por afirmar a líder bloquista aos jornalistas durante uma ação de pré-campanha nas Festas da Moita, a propósito da decisão da subida do 'rating' de Portugal por parte da Standard and Poor's (S&P).

A maioria dos analistas esperava que se mantivesse o rating BB+ ("lixo"). Questionado sobre se a notícia cria melhores condições para dar resposta ao que Bloco de Esquerda e PCP têm querido ver inscrito no próximo Orçamento, Costa pôs o travão a eventuais euforias: "Temos uma dívida muito elevada e esta notação permite-nos melhores condições de financiamento, mas tem de servir para prosseguirmos esta trajetória de redução do défice e redução sustentada da dívida, de forma a podermos, de modo duradouro, dar continuidade a esta política e não haver risco de novos recuos".