Cunha viaja a Brasília para prestar depoimento sobre desvios no FI-FGTS

Cunha viaja a Brasília para prestar depoimento sobre desvios no FI-FGTS

Sobre os critérios de repartição dos valores, o documento afirma que "Eduardo Cunha conseguiu o apoio destes parlamentares por meio da distribuição de cargos dentro das comissões, das relatorias de projetos de interesse destes deputados, além de ter contribuído para obter novos cargos no âmbito do Poder Executivo Federal". Será interrogado 2ª feira (18.set) na 10ª Vara Criminal Federal, no processo em que é réu por desvios no fundo de investimentos do FGTS. A oitiva ocorrerá nos dias 20 e 22 de setembro, no processo em que ele é réu também por corrupção passiva e lavagem de dinheiro em operações fraudulentas.

Na volta a Brasília, o jato da PF vai fazer uma escala em Curitiba e pegar Eduardo Cunha.

O juiz Vallisney de Souza, da 10ª Vara Federal de Brasília, autorizou nesta sexta-feira a transferência temporária do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) do complexo penal de Pinhais, no Paraná, para a Penitenciária da Papuda, na capital federal. É provável, inclusive, que, na próxima semana, ele seja colocado frente a frente com o delator Lúcio Funaro, que o apontou como operador do presidente Michel Temer. O ex-deputado será ouvido nas ações penais que tratam das operações Sepsis e Cui Bono, referentes a fraudes na Caixa Econômica Federal. Além dele, também foram denunciados pelos crimes de organização criminosa e obstrução de Justiça o presidente Michel Temer, os ministros Moreira Franco e Eliseu Padilha, os ex-ministros Henrique Alves e Geddel Vieira Lima e o ex-deputado Rodrigo Rocha Loures. Em março deste ano, o peemedebista foi condenado, pelo mesmo magistrado, a 15 anos e quatro meses de prisão por solicitação e recebimento de vantagem indevida no contrato de exploração de petróleo em Benin.