Coreia do Norte lançou novo míssil que sobrevoou o território japonês

Coreia do Norte lançou novo míssil que sobrevoou o território japonês

Segundo o governo japonês, o míssil sobrevoou a ilha japonesa de Hokkaido (norte) às 07H06 locais (19H06 de quinta-feira, horário de Brasília), antes de cair no mar, cerca de 2.000 quilômetros a leste de sua costa.

A nova resolução prevê limitar as entregas de petróleo à Coreia do Norte a seu nível dos 12 últimos meses.

"Devemos mostrar à Coreia do Norte que, se escolherem prosseguir com este caminho, não terão um futuro brilhante", sublinhou o líder japonês numa declaração a partir de Tóquio. O lançamento acontece dias após a ONU impôr novas e duras sanções ao país.

O regime norte-coreano ameaçou em agosto disparar quatro mísseis nas proximidades de Guam, em plena escalada de tensão com o governo americano, depois que Pyongyang lançou dois mísseis balísticos intercontinentais (ICBM) em julho. A ONU já sancionou sete vezes o país. Porém, o plano poderia trazer consequências ruins para a economia americana.

O porta-voz da Casa Branca informou que o presidente Donald Trump foi informado sobre o lançamento. O presidente chinês, Xi Jinping, defende a dupla suspensão: a Coreia do Norte desiste dos programas de armas, e os EUA suspendem os exercícios militares e a conclusão do escudo antimísseis em Seul. Qualquer deslize dos EUA poderia causar uma reação norte-coreana altamente perigosa para seus vizinhos.

Policial sul-coreano desde helicóptero em operação antiterrorista do exercício militar "Ulchi Freedom Guardian" em parceira com os EUA em Goyang Foto: Ahn Young-joon / APContenção melhoradaOs EUA poderiam mover efetivos terrestres para a região, além de usar a Marinha e a Aeronáutica para aumentar sua presença.

Mas o projeto de embargo petroleiro total promovido pelos Estados Unidos teve que ser abandonado para conseguir que a China, que abastece a Coreia do Norte com petróleo e dispõe de direito de veto no Conselho de Segurança, deu seu aval às sanções. A China e a Rússia também protestariam com vigor.

A Coreia do Norte realizou também um teste com uma suposta bomba de hidrogênio no início de setembro. "Só então, a nação coreana poderá prosperar em um território unificado", afirmou o comitê norte-coreano.