Coreia do Norte lança míssil em direção ao Japão

Coreia do Norte lança míssil em direção ao Japão

Na manhã desta sexta-feira, todos os canais de televisão japoneses exibiam a mensagem de advertência de que um míssil balístico de médio alcance sobrevoava parte do território japonês."Fujam para um prédio ou um subsolo", avisavam os alertas enviados por um sistema de mensagens de emergência para os utilizadores nas regiões ameaçadas, enquanto soavam as sirenes do J-Alert.

O presidente dos EUA, Donald Trump, disse que as sanções de segunda-feira, aprovadas por unanimidade pelos 15 membros do Conselho, são apenas um pequeno passo em direção ao que é necessário em última instância para lidar com os programas nuclear e de mísseis de Pyongyang. "Se a Coreia do Norte continuar a seguir este rumo, não terá um futuro brilhante", sublinhou Shinzo Abe em comunicado.

No mês passado, a Coreia do Norte havia lançado um míssil Hwasong-12 sobre o Japão, no que Pyongyang havia chamado de o "primeiro passo" para suas operações militares no Pacífico.

"Espero que a China possa decidir sozinha sobre recorrer ao poderoso trunfo do abastecimento de petróleo para convencer a Coreia do Norte de repensar sua disposição ao diálogo e a futuras negociações", acrescentou Tillerson.

De acordo com a agência Yonhap, os Estados Unidos e a Coreia do Sul estão analisando as informações sobre a arma.

A União Europeia (UE) adotou nesta quinta-feira novas sanções contra setores estratégicos norte-coreanos. "A comunidade internacional fez o que tinha a fazer há algumas horas, ao aumentar a pressão sobre a Coreia do Norte, mas, simultaneamente, apelando a uma solução pacífica para a crise e mantendo as portas abertas ao diálogo político", declarou a chefe da diplomacia da UE, dirigindo-se aos eurodeputados.

Em aplicação de sanções vigentes da ONU, o bloco europeu anunciou que impôs "uma proibição total de todas as exportações de carvão, ferro, minério de ferro, produtos pesqueiros, chumbo e minério de chumbo", ou seja, contra "as principais exportações" norte-coreanas.

Depois de ter ameaçado atacar os EUA com "fúria e fogo", o regime de Kim Jong-un estendeu, na quinta-feira, a sua ameaça nuclear ao Japão e à Coreia do Sul.