Coreia do Norte dispara novo míssil que voltou a sobrevoar Japão

Coreia do Norte dispara novo míssil que voltou a sobrevoar Japão

O Japão não tentou derrubar o míssil não identificado, que foi lançado às 6:57 horas da manhã e voou sobre a ilha do norte de Hokkaido antes de aterrar a 2.000 quilômetros (1.200 milhas) de distância no Oceano Pacífico, de acordo com a emissora japonesa NHK.

"Estas contínuas provocações apenas aprofundam o isolamento diplomático e económico da Coreia do Norte", completou o secretário de Estado norte-americano.

O lançamento norte-coreano ocorre um dia após a Coreia do Norte ameaçar afundar o Japão e reduzir os Estados Unidos a "cinzas e escuridão" por apoiar uma resolução do Conselho de Segurança da ONU que impôs novas sanções contra o teste nuclear de 3 de setembro, o mais poderoso até agora.

Os responsáveis militares da Coreia do Sul e dos EUA estão a analisar os pormenores deste novo lançamento.

Segundo 38 North, imagens de satélite de sexta-feira passada, cinco dias após o teste, revelam atividade nas entradas do túneis em Punggye-ri, incluindo caminhões estacionados e outros equipamentos.

O presidente sul-coreano, Moon Jae-in, convocou uma reunião do conselho de segurança para discutir o novo lançamento, enquanto o governo japonês condenou o lançamento. A ONU já sancionou sete vezes o país. Não foi detectada qualquer colisão com barcos ou aviões na região. Porém, o plano poderia trazer consequências ruins para a economia americana. O secretário-geral da Casa Branca, general do Marines John Kelly, foi quem informou o presidente, disse a porta-voz Sarah Sanders.

Em comunicado, o Conselho da UE explica que acabou de transpor as sanções setoriais impostas pela resolução 2371 do Conselho de Segurança da ONU, adotada em 5 de agosto passado, em resposta às atividades de desenvolvimento de armas nucleares e de mísseis balísticos em curso na Coreia do Norte.

O governo sul-coreano também foi alvo das ameaças. A China e a Rússia também protestariam com vigor. "Só então, a nação coreana poderá prosperar em um território unificado", afirmou o comitê norte-coreano.

Antes, o Comando do Pacífico (PACOM, na sigla em inglês) dos Estados Unidos tinha confirmado que a Coreia do Norte lançou hoje (às 23h de quinta-feira em Lisboa) um míssil balístico de alcance médio que sobrevoou o norte do Japão.