Coreia do Norte agora ameaça afundar o Japão

Coreia do Norte agora ameaça afundar o Japão

Segundo a NHK, canal estatal japonês, o míssil foi lançado às 6h57 (22h57 em Lisboa) e passou a norte da ilha de Hokkaido, tendo caído no oceano Pacífico, a cerca de dois mil quilómetros a este do Japão.

Mais cedo, o governo japonês havia informado a ativação do sistema de emergência J-Alert em várias regiões do norte do arquipélago. Os cientistas do Norte trabalham há décadas para construir um dispositivo nuclear pequeno o suficiente para caber na ponta de um míssil de longo alcance para atingir um alvo a milhares de quilômetros de distância.

Pyongyang havia prometido na quarta-feira acelerar seus programas militares proibidos em resposta às "maléficas" sanções da ONU.

O lançamento do míssil balístico ocorreu por volta das 19h de quinta-feira (de Brasília, 7h da manhã de sexta-feira na hora local).

"A China supre a Coreia do Norte com seu petróleo".

De acordo com a Reuters, as ameaças estenderam-se também aos Estados Unidos, com a Pyongyang a ameaçar reduzir a nação a "cinzas e escuridão" por ter apoiado e instigado as sanções aplicadas pelas Nações Unidas.

Restando como "única solução" um reforço de sanções como forma de "abrir canais de diálogo político e diplomático", a Alta Representante da UE disse que agora a União atuará em três frentes a nível das sanções: implementar as novas sanções impostas pela ONU, garantir que todos os parceiros internacionais fazem o mesmo para assegurar a sua eficácia, e discutir eventuais novas sanções do lado da UE, questão já abordada na recente reunião informal de chefes de diplomacia europeus, em Talin.

A China se opõe ao desenvolvimento de armas nucleares da Coreia do Norte, mas teme que uma maior pressão econômica leve o vizinho ao colapso.

"A China e a Rússia devem demonstrar sua intolerância em relação a esses imprudentes lançamentos de mísseis, por meio de ações diretas", completou.

Em aplicação de sanções vigentes da ONU, o bloco europeu anunciou que impôs "uma proibição total de todas as exportações de carvão, ferro, minério de ferro, produtos pesqueiros, chumbo e minério de chumbo", ou seja, contra "as principais exportações" norte-coreanas.