Marinha envia 100 militares para ajudar no combate aos fogos

Marinha envia 100 militares para ajudar no combate aos fogos

Os restantes fogos, considerados como "em resolução", situam-se nos concelhos de Cinfães, Cantanhede e Abrantes. O mesmo aconteceu com várias habitações na aldeia de Cabeça Gorda.

"Há suspeitas de que haja atuação criminosa", vincou a autarca, considerando que o próprio combate ao fogo foi mais complicado face à necessidade de dispersão dos meios para combater focos de incêndio que iam surgindo "em vários pontos do concelho".

Em Cantanhede, também no distrito de Coimbra, o fogo, com uma frente, era combatido por 290 homens, apoiados por 80 viaturas, pelas 05:15. E ainda um terceiro incêndio em Pombal, distrito de Leiria.

"Mantemos todos os meios de reforço no terreno no sentido de conseguir responder e apoiar estas situações, mantemos o nível de alerta laranja para todos os distritos", acrescentou a responsável, dando conta também da situação em Tomar, onde lavra um incêndio "já muito ativo" e com "algumas situações críticas em termos de aldeias e pequenas localidades que se concentram na área de propagação e desenvolvimento" do fogo, com "áreas onde se encontram evacuações em curso ou onde são previsíveis nas próximas horas".

Quase 600 militares e 116 viaturas estão no terreno a ajudar no combate aos incêndios, em missões de apoio à Protecção Civil, Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) e diversos municípios, anunciou o Exército. A Agência Lusa informou que a governante "chegou cerca das 19h30m" à sede da ANPC e que está "reunida na sala de situação" com o presidente da ANPC, Joaquim Leitão, e com o comandante nacional operacional da Proteção Civil, Rui Esteves.

O incêndio em Montemor-o-Velho, distrito de Coimbra, também dado como dominado ao início da madrugada, entrou, esta madrugada, já em fase de rescaldo.