Blairo Maggi pagou R$ 3 mi para mudar depoimento, diz delator

Blairo Maggi pagou R$ 3 mi para mudar depoimento, diz delator

"Mas eu estava abalado emocionalmente", afirma.

A mudança de versão foi um dos motivos que levaram a Procuradoria Geral da República a pedir o arquivamento de um inquérito contra Blairo Maggi no Supremo Tribunal Federal.

Barbosa também mencionou em sua delação uma suposta tentativa de Maggi de obstruir a Justiça em relação à operação Ararath, apelidada de Lava Jato pantaneira e deflagrada em 2010 para investigar o pagamento de precatórios. Para descaracterizar o ato ilícito, Alencar teria devolvido a mesma quantia a Ricardo, dinheiro oriundo de uma factoring, com intermediação de Eder Moraes e aval do governador Blairo Maggi.

Os conteúdos trazidos pelo ex-governador poderão motivar novas operações da Polícia Federal no âmbito de investigações existentes ou originadas a partir da delação. Alegou que a atuação dele à frente da Secretaria Estadual de Fazenda, da Casa Civil e da Secretaria da Copa de Mato Grosso não agradava o então governador.

Barbosa relatou ainda pagamento de um "mensalinho" para deputados estaduais que atuaram na sua gestão para lhe garantir apoio. Também fui tirado da Secopa sem nenhuma justificativa. Silval foi vice-governador no segundo mandato de Blairo Maggi - de 2007 a 2010. "Blairo Maggi é um homem sério e a população sabe disso, estão buscando prejudicar a imagem dele por meio de mim".

O ex-secretário de Fazenda do estado, de fato, mudou a versão que contou ao Ministério Público.

Nessa linha, Blairo nega veementemente que teria subornado o ex-secretário de Estado Eder Moraes para retirar acusações sobre seu envolvimento no esquema para compra de vaga no Tribunal de Contas do Estado (TCE). Segundo o ex-secretário, Zaque teria dito que só aceitaria o depoimento caso pudesse, o próprio magistrado, indicar um advogado.

Já em janeiro de 2015, depois dos pagamentos relatados na delação, Eder deu uma entrevista à TV Centro América, afiliada da Rede Globo em Mato Grosso, e disse que havia mentido no depoimento anterior.

O ex-governador também teria relatado fatos envolvendo pelo menos três deputados federais com mandatos em curso, cujos nomes ainda não foram identificados, além de repasses a conselheiros do Tribunal de Contas do Estado. "Então todo esse contexto fez com que eu ali colocasse algumas palavras que eu depois me retratei sobre todas elas", disse na época.