JBS anuncia plano de venda de ativos em meio à crise política

JBS anuncia plano de venda de ativos em meio à crise política

Maior processadora de carnes do mundo, a JBS anunciou hoje (20) um programa de desinvestimento que prevê a venda de R$ 6 bilhões em ativos.

Ativos à venda no Uruguai, Paraguai e Argentina já anunciados devem injetar mais R$ 1 bilhão na JBS. O plano prevê a cessão de 19,2% das ações da JBS na empresa brasileira de produtos lácteos Vigor Alimentos S.A, assim como a venda de sua participação na companhia americana de alimentos para gado Five Rivers Cattle Feeding, e na norte-irlandesa Moy Park.

Com a venda, a empresa espera melhorar o seu nível de endividamento, que equivale a 4,2 vezes a sua geração de caixa medida pelo Ebitda (sigla em inglês para lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização e que mede a geração de caixa de uma empresa).

No fim de maio, a J&F, controladora da JBS fechou um acordo de leniência com o Ministério Público Federal que prevê o pagamento de multa recorde no valor de 10,3 bilhões de reais por atos praticados por empresas controladas pela holding.

O Programa de Desinvestimentos implicará na redução do endividamento líquido e consequentemente a desalavancagem, fortalecendo a estrutura financeira da Companhia. Desde a operação, a perda acumulada é de R$ 15,3 bilhões.

A empresa iria realizar na Bolsa de Nova York uma oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) neste ano das suas operações internacionais, mas a delação premiada jogou esse plano por terra.

O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Paulo Rabello de Castro, disse que o banco de fomento ainda não foi comunicado oficialmente sobre o plano de desinvestimento da JBS, mas que considera a ideia boa. Outro ativo que pode ser negociado é a Alpargatas, dona da marca Havaianas e Osklen.