Judiciária faz buscas na Câmara de Matosinhos

Judiciária faz buscas na Câmara de Matosinhos

"A Polícia Judiciária, através da Diretoria do Norte, no âmbito de inquérito titulado pelo Ministério Público - DIAP de Aveiro, Secção de Santa Maria da Feira, deteve sete pessoas pela presumível autoria de crimes de corrupção ativa e passiva, prevaricação, peculato e tráfico de influência", refere a Polícia Judiciária (PJ) em comunicado.

Nesta operação realizaram-se 31 buscas, incluindo cinco camarárias e cinco em clubes locais de futebol, na qual participaram magistrados do Ministério Público e cerca de 90 elementos da Polícia Judiciária.

Ao final da tarde desta segunda-feira, o Observador avançou com novas informações relacionadas com a Operação Ajuste Secreto.

"A investigação permitiu até ao momento a obtenção de fortes indícios da existência de relações privilegiadas entre os suspeitos que, ao longo do último ano, têm visado a realização de diversas obras em diferentes localidades, manipulando as regras de contratação pública", lê-se no comunicado. Até hoje - o dia da sua detenção para interrogatório, ao abrigo da operação judicial 'juste Secreto' e posterior detenção para ser, amanhã, dia 20, presente a um juiz de instrução.

Fonte da Judiciária adiantou que os cinco clubes de futebol que foram alvo de buscas são "todos do concelho de Oliveira de Azeméis".

Hermínio Loureiro renunciou à Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis a 27 de dezembro de 2016 por entender "que é muitas vezes mais importante saber sair da cena política, do que a ela se apresentar". O ex-autarca alegou ter saído sem segundas intenções, rejeitando a ideia de que pudesse ter algo na manga. "Herdei um município com um passivo de 56 milhões de euros e deixo uma dívida de quase 22 milhões", afirmou então ao Expresso.

Hermínio Loureiro desempenha atualmente funções de vice-presidente da Federação Portuguesa de Futebol. Em 2012 tornou-se vice-presidente da Federação Portuguesa de Futebol. Antes disso, integrou os governos de coligação PSD/CDS de Durão Barroso, entre 2002 e 2004, e de Pedro Santana Lopes, entre 2004 e 2005, como secretário de Estado do Desporto.