Incêndio de grandes dimensões lavra em Pedrógão Grande

Incêndio de grandes dimensões lavra em Pedrógão Grande

Antes de o chefe de Governo ter feito o novo balanço, o secretário de Estado Jorge Gomes explicou pelas 23h40 que três das então 19 vítimas mortais anunciadas tinham perdido a vida devido à inalação de fumo na via pública e 16 dentro das viaturas, depois de serem apanhadas pelo fogo na estrada.

Há um bombeiro desaparecido e vários feridos no incêndio que deflagra em Pedrógão Grande, distrito Leiria. "Temos quatro frentes activas, três das quais com uma violência muito grande" e "há localidades afectadas que ainda não conseguimos determinar porque não se consegue entrar nem na floresta nem nos caminhos para as aldeias", declarou Jorge Gomes.

Alguns populares foram mesmo obrigados a abandonar as casas em zonas mais remotas.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, já está no local.

O Itinerário Complementar 8 (IC8), entre o nó da zona industrial de Pedrógão Grande e o nó do Outão, está cortado ao trânsito desde as 19H00, devido a um incêndio florestal, disse fonte da GNR.

O autarca defende que o número de bombeiros a combater as chamas é "insuficiente". Existem aldeias cercadas e há falta de bombeiros. "Não era possível fazer mais, há situações que são situações imprevisíveis e quando ocorrem não há capacidade de prevenção que possa ocorrer, a capacidade de resposta tem sido indómita", considerou.

"Temos muito medo que o fogo venha por aí abaixo e nos atinja", disse também Palmira Coelho, antes de se refugiar em casa para proteger os seus bens.

O primeiro ministro deslocou-se no início desta madrugada à sede da Autoridade Nacional de Proteção Civil para acompanhar as operações de socorro ainda em curso no incêndio de Pedrógão Grande, que já fez 19 mortos.