Agência do Medicamento: Costa defendeu "até ao limite" candidatura do Porto

Agência do Medicamento: Costa defendeu

A "conveniência da proximidade do Infarmed" é outro dos fatores apontados por António Costa como justificação para candidatar a capital portuguesa, e não a Invicta, a acolher a sede da EMA, que deverá abandonar Londres, com a saída do Reino Unido da União Europeia (UE).

O Presidente da República pediu que os partidos "estabilizem a opinião" sobre a localidade portuguesa que se deve candidatar à Agência Europeia do Medicamento (EMA). "Ficar claro a que tem melhores hipóteses para ganhar e, depois, todos juntarem-se para que Portugal ganhe, porque isso é que é importante", vincou. Se é a que tinham, se é outra e qual - Porto ou Braga.

Horas antes, em Ílhavo, Marcelo Rebelo de Sousa fizera já o apelo ao consenso em torno daquilo que "melhor realiza o interesse nacional", mas sem se referir diretamente à polémica em torno da localização da Agência Europeia do Medicamento. "É uma luta muito difícil, com hipóteses limitadas, por isso têm de remar todos na mesma direção, senão o que já é difícil torna-se impossível", pediu o Presidente da República, à margem de cerimónia de homenagem à Associação Pró-Maior Segurança dos Homens do Mar com o título de membro honorário da Ordem de Mérito.

Paulo Rangel e José Manuel Fernandes entendem que Portugal possui outras cidades com todas as condições para receberem a sede da AEM e dá o exemplo de Porto e Braga. "Mas é preciso que, rapidamente, os partidos definam uma posição", avisou o PR.

O primeiro-ministro defendeu, garante fonte oficial do Governo, até ao "último momento possível", a candidatura do Porto para sede da Agência Europeia do Medicamento, mas a comissão de avaliação nomeada pelo Governo concluiu que Lisboa oferecia maiores garantias de êxito na corrida. Costa cita na carta "a conveniência da proximidade do Infarmed, agência nacional do medicamento" e o facto de "ser fator de preferência a existência de Escola Europeia, que só Lisboa poderá vir a ter, beneficiando da sinergia da preexistência de outras agências europeias".

Daí para cá, um grupo de deputados do PSD defendeu a instalação da EMA em Coimbra, tendo questionado o Governo sobre se a cidade foi estudada como alternativa a Lisboa para receber aquele organismo.

A candidatura PSD/PPM à autarquia portuense lembra que "o Porto também é sede da Entidade Reguladora da Saúde - recorde-se que por decisão de um Governo do PSD - pelo que se a existência de uma instituição de regulação na saúde fosse um requisito, também esse requisito o Porto cumpriria".

A deliberação foi tomada na reunião camarária pública do executivo desta terça-feira, com base numa proposta do PS, à qual, após amplo debate, Rui Moreira, sugeriu acrescentar a ressalva de que o Porto preparará a candidatura "no prazo máximo de 30 dias", apenas "desde que seja garantido pelo Governo rever a decisão tomada".

A decisão sobre a relocalização das duas agências europeias com sede em Londres só deverá ser tomada no outono, disse hoje fonte da presidência maltesa do Conselho da União Europeia (UE).